Como engajar pessoas e formar novos líderes?

Este post sobre PDI foi originalmente compartilhado pela Ana Elisa Gonçalves em seu blog de inovação, leia o original aqui.

 

Formar novos líderes, motivar e engajar pessoas, são tarefas complexas, e vistas por grande parte das organizações como “ Missão Impossível”. Mas não precisa ser assim, é possível estabelecer uma rotina para alcançar este objetivo, fazendo uso de uma ferramenta poderosa, o PDI.

 

Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)

 
O PDI é uma ferramenta subestimada, que não é tão utilizada quanto poderia pelas empresas. Ela é capaz de integrar vários dos subsistemas do RH como aplicar, manter e desenvolver pessoas. Interferindo também em outras etapas da gestão de pessoas.
 
Sendo o PDI uma ferramenta que integra várias práticas, é necessário observar como algumas delas estão, antes de iniciar sua implementação. Primeiramente a organização deve ter, bem definida, a descrição de cada cargo. Atentando-se às competências necessárias para cada um, bem como o que cada competência significa para o contexto da empresa.
 
O recrutamento e a seleção dos colaboradores, deve então seguir aos requisitos que constam na descrição de cargos, compreendendo assim, se o candidato está apto ou não para a vaga.
 
O plano de carreira, também é um dos aspectos que devem ser considerados antes da implementação do PDI, traçando quais podem ser os próximos passos dos colaboradores, assim como o que será necessário desenvolver para tal (de acordo com a descrição de cargos).
 

Uma vez que a organização tem as práticas anteriores bem estabelecidas internamente, pode ser dado início ao PDI.

Primeiramente, deve ser feita uma análise do colaborador. Entender em que patamar de desenvolvimento ele se encontra, considerando competências, conhecimentos e habilidades. E onde ele deseja chegar em um determinado período de tempo, como um “planejamento estratégico pessoal”.
 
A partir disso, pode-se estipular quais competências devem ser desenvolvidas e conhecimentos adquiridos, para que se atinja o resultado, ou promoção de cargo. Como apoio, a empresa pode oferecer um plano de capacitação internamente, auxiliando nesta evolução.
 
É aconselhável que este processo seja acompanhado por um superior ou gestor, a fim de orientar os melhores caminhos, e também gerar oportunidades de desenvolvimento. Este “mentor”, deve então possuir conhecimentos sobre como fazer um feedback*. Que por sua vez, ocorrerá constantemente nas reuniões de acompanhamento.
 
Para o momento de promover, ou não, o colaborador, é importante existir requisitos bem estabelecidos, que não vão gerar dúvidas e constrangimento internamente. Para isto, pode ser utilizada a Avaliação de Desempenho.
 
Perceba que de modo geral, o PDI integra quase todos os processos de gestão de pessoas. Sendo assim, um motivo a mais para engajar os colaboradores em suas atividades e desafios, motivar com objetivos e possibilidades reais de crescimento, e capaz de formar, com qualidade, novas lideranças.
 
 

DICAS:

1- Esteja certo de que sua empresa está preparada para receber o PDI.
2- Não há uma ferramenta modelo. Ela pode ser criada de acordo com a realidade da organização. O importante é seguir os passos acima.
 
 
Feedback*: No ambiente empresarial, refere-se à avaliação que é dada a um grupo ou colaborador individualmente.
Para ler mais sobre inovação, acesso o Blog Innovation Tips.